Recuperação de Desastres | Sua empresa está preparada?

Recuperação de Desastres | Sua empresa está preparada?

5 informações a considerar para recuperação de desastres em computação em nuvem

 

 

Os dados são, hoje, os bens mais valiosos de uma organização. Afinal, é com base neles que é possível ter o real conhecimento sobre o seu negócio e mercado, bem como tomar decisões mais assertivas em prol do crescimento de sua empresa.

Com o recente aumento do ataque cibernético, os responsáveis pela segurança das informações nas empresas estão procurando maneiras de fortalecer sua segurança de dados e buscam como eliminar essas ameaças. A computação em nuvem é a tecnologia mais recente e popular que permite que uma empresa hospede seus dados na Internet e nos servidores, em vez de elementos de armazenamento local.

Isso, por sua vez, economiza o custo de configurar uma infraestrutura independente e permite que uma organização acesse os dados a qualquer momento em qualquer lugar.

Não é de surpreender que muitas empresas não pensem em recuperação de desastres para seus dados. Não é um tema divertido. No entanto, embora se espera que o melhor seja ótimo, preparar-se para o pior é o outro lado necessário dessa moeda. Surpreendentemente, a maioria das empresas decide não implementar o DR ou implementá-lo no meio do caminho.

De acordo com as algumas estatísticas, as detecções de vírus e ransomware aumentaram em 90% no último ano, as falhas de hardware foram responsáveis ​​por cerca de 45% do tempo de inatividade nas empresas e pior ainda – 90% das empresas que não possuem plano de recuperação de desastres perdem milhões em negócios.

 

Reserve um minuto para pensar nessas perguntas:

  • você pode continuar a fazer negócios se houver uma falha de hardware ou se um local de backup onde acredita que tudo esteja seguro, for corrompido?
  • Se você tiver um incêndio, o que aconteceu com todos os seus dados? Com que rapidez você pode se recuperar disso?
  • Se o seu sistema está inativo por 2 ou3 dias, que tipo de negócio você está perdendo?
  • Você será capaz de oferecer a seus clientes o mesmo nível de serviço ao cliente que você seria capaz de fornecer em circunstâncias normais?

 

As soluções modernas de backup e recuperação de dados mudaram para soluções de backup de dados e Disaster Recovery baseadas em nuvem, que dependem menos do hardware. Eles oferecem às empresas uma abordagem ágil de recuperação, salvando dados cruciais no momento da interrupção.

Disaster Recovery: É mais do que apenas um serviço de armazenamento de dados(backup). Disaster Recovery (Recuperação de Desastres) é sobre ter um plano de ação para certos tipos de falhas que empregam muitos métodos e / ou serviços, bem como um procedimento documentado a ser seguido no caso de um evento como esse. Ele empregaria alguns ou todos os métodos mencionados para combater exclusões acidentais diárias, vírus, malware, ransomware, desastres naturais e violações de segurança.

 

Para que isso aconteça, você precisa considerar os seguintes fatores para migrar para uma solução avançada de recuperação de desastres baseada em nuvem.

 

1.    A segurança de que os dados de sua empresa estarão salvos

 

Talvez este seja o principal benefício, apesar de não ser o único. Contar com um plano de Disaster Recovery para a sua empresa garante a você a segurança de que todos os dados coletados e armazenados no decorrer dos anos de sua empresa não se percam do dia para a noite, por conta de um acontecimento que independe das medidas preventivas tomadas.

Isso porque este tipo de plano, certamente, acompanha um backup contínuo, e em nuvem, de todos os dados cadastrados em seu software ERP. Dessa forma, mesmo que hardwares sejam perdidos ou alguma pane ocorra, você poderá se assegurar de que todos eles estarão disponíveis para consulta quando tudo estiver resolvido.

2.      Analise o custo da nuvem:

 

Em um mundo ideal, onde todos os dados podem ser armazenados na nuvem, as decisões orçamentárias muitas vezes exigem uma avaliação dos dados mais importantes. Ao buscar a recuperação de nuvem integrada, decida qual tecnologia se ajusta ao orçamento.

Ele também deve incluir o backup e a recuperação de arquivos, imagens de servidor para servidores físicos e virtuais que não limitem o número de servidores e endpoints, bancos de dados, auditoria e suporte técnico em nível. Quando se trata de despesas operacionais, você deve considerar inevitavelmente a escalabilidade como um fator importante.

 

3.      O provedor de nuvens (Cloud) atende aos requisitos?

 

E como as nuvens são acessadas pela Internet, os requisitos de largura de banda também precisam ser claramente entendidos. Existe o risco de planejar apenas os requisitos de largura de banda para mover dados para a nuvem sem uma análise suficiente de como tornar os dados acessíveis quando ocorre um desastre:

  • Você tem a largura de banda e capacidade de rede para redirecionar todos os usuários para a nuvem?
  • Se você planeja restaurar da infraestrutura em cloud para a infraestrutura local, quanto tempo essa restauração levará?

Confiabilidade do provedor de nuvem, sua disponibilidade e sua capacidade de atender seus usuários enquanto um desastre está em andamento são outras considerações importantes.

A escolha de um provedor de serviços de nuvem ou de um provedor de serviços gerenciados que possa fornecer serviços dentro dos termos acordados é essencial para sua empresa. Procure provedores com uma oferta abrangente e completa em uma plataforma madura e estabelecida, com gerenciamento central de dados e políticas, além de relatórios detalhados.

A tecnologia usada pelo seu provedor de serviços também pode fornecer informações sobre a viabilidade de sua solução.

  1. Analisar a velocidade de backup:

 

À medida que o tamanho dos conjuntos de dados aumenta continuamente, a solução mais eficaz é aquela que gerencia a capacidade e fornece a transferência de backup de dados necessária. A velocidade é muito importante para atender a janela de backup e recuperar rapidamente os dados.

Além disso, uma taxa de transferência de dados em alta velocidade oferece uma melhor chance às organizações, garantindo o backup dos aplicativos e sistemas em uma janela específica, com o mínimo de interrupção.

 

Mesmo uma pequena interrupção pode colocá-lo em desvantagem competitiva. Portanto, esteja preparado com um plano de continuidade de negócios que inclua Disaster Recovery para todos os seus principais sistemas de TI, sem a despesa da infraestrutura secundária.

 

5.      Objetivo do tempo de recuperação:

 

É importante saber quanto tempo sua empresa pode passar sem acessar os dados. Se você definir um objetivo de tempo de recuperação, ele fornecerá os parâmetros com os quais os gerentes de TI precisam trabalhar para fornecer backup e restauração. Isso pode levar um dia inteiro ou apenas uma hora.

As considerações acima mencionadas são uma ótima maneira de começar a avaliação da mudança para uma plataforma direta em nuvem. Espera-se que essa tecnologia faça mais avanços com base no crescimento de dados e na necessidade de fornecer proteção mais rápida a arquivos de backup.

 

6.      Abordagem focada no hardware:

 

 

O que é mais surpreendente é o fato de que a maioria das empresas experimenta de 10 a 20 horas de tempo de inatividade não planejado a cada ano que também sem a ocorrência de qualquer desastre.

Os sistemas legados de backup e recuperação dependem do backup em pen drive e do hardware, o que não é eficiente em termos de custo nem tem a capacidade de resistir efetivamente ao ataque de dados predominante nas organizações atualmente. Além disso, esses sistemas estão mal equipados para oferecer recuperação rápida de desastres.

A abordagem de hardware é cara, pois a organização precisa esperar muito para substituir um equipamento. Enquanto a abordagem de mover diretamente para a nuvem acelera a recuperação de dados, erradicando a necessidade de aguardar o dispositivo de hardware.

 

O custo das interrupções de serviço varia, mas muitos consideram o custo em centenas de reais por negócio ou até mais. O verdadeiro custo, é mais que financeiro. Sua reputação, satisfação do cliente, classificação do fornecedor e moral dos funcionários sofrerão se você não puder enviar a tempo ou cometer erros manuais evitáveis.

 

Garantia de que a operação de seu negócio não será interrompida

 

Assim como os processos permanecerão organizados, um plano de Disaster Recovery, garante que a operação de seu negócio não será paralisada ou interrompida pela falta de acesso aos dados ou mesmo de infraestrutura.

Principalmente quando toda a operação é realizada com um software em nuvem, já que a reposição de infraestrutura de hardware é consideravelmente ágil quando comparado a uma necessidade de reestruturação de processos de operação ou de organização de software.

Desta forma, a sua empresa permanece em atividade, garantindo a lucratividade. Certamente, é sempre melhor prevenir do que remediar. Pois não podemos ter certeza quando um evento de desastre pode ocorrer, mas devemos – e devemos – estar certos dos sistemas e procedimentos que implementamos para recuperar quando eles ocorrerem.

Mas em caso de desastres é importante contar com uma segurança que não deixará que seus negócios sejam prejudicados.

E você, já conta com um plano de Disaster Recovery para a sua empresa? Já passou por alguma situação de desastre? Compartilhe experiências e dúvidas através dos comentários abaixo! Será muito bom saber o que você pensa a respeito.

 

Fale com nossos especialistas: contato@memorycomp.com.br | 11 5626-1313 | www.memorycomp.com.br

Cadastre se e-mail e fique por dentro do mercado da tecnologia!

100% livre de spam. Prometemos não enviar SPAM

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

Seja o primeiro a comentar!